Peregrinações ao Santuário

XVII Peregrinação dos Universitários – 2017

 

Os estudantes universitários foram novamente convidados para a casa do Menino Jesus, e tão bem recebidos que foram! Num domingo cheio de sol a Mancha Negra vinda de várias Universidades e Institutos Politécnicos, foi entrando e enchendo o coração com as palavras de confiança deste tão nosso Menino. Quisemos agradecer-Lhe o caminho percorrido, gravando algumas palavras nas fitas da cor do respetivo Curso que estavam junto d’Ele.

Da celebração guardo a alegria dos cânticos, que nos ajudaram a congregar, a cantar a fé, e a subir ao altar para estarmos ainda mais perto do Menino e sentir o calor do Amor no nosso coração. Guardo ainda o que Frei João nos disse: a ciência e a fé não têm de opor-se, muito pelo contrário, uma vez que se complementam, se ajudam e nos ajudam a crescer e a caminhar.

Naquele domingo coincidiram no Santuário do Menino Jesus a Peregrinação Mensal das Bênçãos e a XVII dos Universitários. A dos Universitários não convoca apenas finalistas, mas os universitários que se sentem ligados ao Menino Jesus como seu Padroeiro. Por essa razão, foi possível identificar alguns provindos de Avessadas e Marco, Lousada e Penafiel, de Cascais, Aveiro, Guarda, Bragança, Porto, Braga, Paredes. Havia futuros psicólogos, engenheiros vários, advogados, enfermeiros, médicos, teólogos, designers com muitos sonhos e, sobretudo, três palavras no coração: gratidão, missão, confiança.

Gratidão às famílias e ao Menino. Ninguém triunfa sozinho, ninguém vem do nada.  Gratidão às escolas, professores e colegas. Gratidão também ao nosso Padroeiro: sendo pequenino Ele se fez grande, e nos faz crescer e a aprender para servir.

Missão. Hoje Jesus entrega-nos a missão: dar a paz e perdoar; dar a paz e sarar feridas. Ele não nos quer fechados, mas enviados ao encontro dos que andam feridos. E nós acreditamos que é possível voar quando nos perdoamos. E que perdoar e pedir perdão é o segredo da fé e o fermento que faz crescer a verdade!

Confiança. Num mundo de competição, o mais provável é sermos ultrapassados, mesmo indevidamente. Por vezes, até somos atraiçoados por quem nos deveria animar e encorajar. Se nem sempre conseguimos o que sonhámos, não é menos verdade que Deus nos acompanha e que a Sua presença é um estímulo à confiança, como que proibindo-nos de desistir de lutar. Se Deus confia em nós, porque haveríamos nós ficar parados sem deitar mãos aos desafios da vida?

Terminou a XVII, venha a XVIII peregrinação! Em 2018 cá estaremos!


Sofia Madureira

 

 

 

2017-04-25

| Peregrinações | |